sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Na galeria das saudades

Já que o blog anda meio nostálgico esses dias, vou postar duas fotos de Luanda, mas precisamente da Av. dos Combatentes.

Recebi essas fotos por e-mail e não sei quem foi o autor. Caso o mesmo se identifique terei o maior prazer em colocar os créditos.

Como dizem por ai: uma imagem vale mais do que mil palavras, então deixo de lero lero e envio as imagens...


Av. dos Combatentes, meados dos anos 70


A mesma Av. dos Combatentes nos dias de hoje...

13 comentários:

m.Jo. disse...

Com céu azul e nuvens brancas!!!

André Miguel disse...

Malvados tugas que não deitaram fora as fotos antigas!

fernando baião disse...

Pois é André Miguel, mas esquece que em 1970, Luanda era uma cidade colonial de mais ou menos 500 mil habitantes, onde a maioria negra, habitava os museques, no asfalto, morava a maioria dos portugueses.
Hoje, independentes, os angolanos ocuparam a sua terra, a sua cidade, o asfalto foi invadido pela população rural, houve guerra urbana, fugiram quadros técnicos e deu-se o colapso dos serviços de manutenção. O angolano e especialmente o kaluanda, pode comprar milhares de carros e "afogou" uma cidade que não estava preparada para tanto trânsito, o trânsito infernal do dia a dia.Comparar os dois tempos, sem uma análise correcta do que se passou anteriormente não é muito aceitável, só por saudosismo eu entendo o seu desabafo. Hoje, Angola é um País independente, e se tem um governo que não consegue "resolver os problemas do seu Povo", a culpa é só mesmo desse mesmo Povo, que votou nele. É costume dizer que "cada Povo tem o governo que merece"

Anônimo disse...

ALÓ FERNANDO,VALEU O COMENTÁRIO EM TOM DE REVOLTA ,PARA QUEM NÃO ENTENDE E TALVEZ LHE CUSTE A ACEITAR QUE ANGOLA COMO TODOS OS OUTROS PAÍSES DO MUNDO ,NÃO ESCAPA A MUDANÇA DOS TEMPOS E QUE A IRREVERSIBILIDADE DA MUDANÇA LEVA,COMO É ÓBVIO,PRINCIPALMENTE NO NOSSO CASO QUE PASSAMOS DUMA PROVÍNCIA PARA UM PAÍS INDEPENDENTE, COM TODOS OS CONDICIONALISMOS QUE A MESMA ACARRETA,COM A AGRAVANTE DE TERMOS UM GOVERNO,QUE O QUE MENOS LHE INTERESSA É RESOLVER OS PROBLEMAS DO POVO,O QUE JUSTIFICA O CAOS EM QUE VIVEMOS EM TODOS OS ASPECTOS.ESSES COMENTÁRIOS NOSTALGÍCOS DEMONSTRAM MUITAS VEZES PRETENSÕES SAUDOSISTAS DE QUEM IMPRESSIONADO PELAS FACILIDADES,DEMONSTRA A PRETENSÃO IMPOSSÍVEL DE REGRESSO AO TEMPO DO CHICOTE E DE NEGAÇÃO DE LIBERDADE A QUE TODOS OS POVOS TÊM DIREITO.

septuagenário disse...

Mas que saudades daquele tempo fabuloso.

Mas será que um dia se poderá repetir um (1) minuto apenas daqueles tempos 1960/70, da vida de Luanda, mesmo com o caos de 1961, para as pessoas actuais, brancos e pretos, compreenderem o que se perdeu?.

Podem chamar saudosismo bacoco, doentio, faccioso, etc., mas deixem contar a história do que foi e do que poderia vir a ser aquela terra, se houvesse respeito pelo povo angolano.

André Miguel disse...

Caro Fernando o meu saudosismo é só da Luanda de hoje, porque a dos anos 70 eu não conheço...
Mas compreendo o seu comentário, o qual eu subscrevo inteiramente.
Abraço.

fernando baião disse...

ò mais velho Sete Nário, tenho muito respeito pelos mais velhos, mas não me venha dizer que os pretos ou negros, têm saudades do tempo colonial, só se for algum que esteja a ser tratado, à cabeça, pelo Papá Kitoko.

septuagenário disse...

Olhe senhor Fernando BALÃO, quem vai ao ar perde o lugar, como tal os pretos ou negros que podiam ter saudades, ou seja, que podiam confirmar o que afirmo, já não teem possibilidade de se pronunciar, pois os ano passaram, e a maioria deles se não foi a idade que os calou, foram as minas, e uma guerra inenarrável que os mandou desta para melhor.

E o povo humilde que vivia nos muceques e na sanzala, reproduziu-se de tal ordem à volta de Luanda, que para terem uma vida mais desumana do que antigamente, foi convence-lo que até já tem carro!

Mas como digo, não é só saudades do que foi, mas do que poderia vir a ser. Luanda e África avançam...mas por cima dos africanos! Mas a europa vai pagar tambem as consequências.

Treme disse...

Bom artigo finalmente... e bons pontos de vista aqui.

O brasileiro X recordou várias vezes as suas fotos com saudade. Mas em 20 anos irá ele olhar para as mesmas, para voltar ao passado, ou apenas lhe interessará os factores sociais de entao (de agora)?

Deixem os velhos recordar como bem lhes apetece, deixem o anterior ensinar alguma coisa, por muito ou pouco que seja. Toda a cidade, todo o país têm um passado e por muito nefasto que tenha sido ele nunca deve ser esquecido. Não importa também a memória desses antigos que foram já embora?

Discutir se o passado foi bom ou se foi mau já não está na moda. Evoluiu-se para troca de ideias, o fazer a história com rigor e é isso que jovens como eu (bem, nos trintas), Tugas a viver em Angola, procuram dos mais velhos. E temos interesse no passado sim, não é só vir aqui ganhar o dinheiro que na Tuga rareia; temos ânsia de conhecer o ponto de vista do angolano de gema, daquilo que ele foi e passou. Enfim, é tão triste ver que ainda há descuidos no tom e, mais importante, ressentimento na mente.

Foram outros tempos Menina, eu pelo menos se quisesse tudo muito bonitinho estaria noutra avenida, lá em Braga ou quê. Gosto dos Combatentes mesmo assim, não troco a adrenalina desta Luanda por todas as imagens de uma cidade utópica.

Mas isso sou eu.

zé maia disse...

Concordo Treme... Luanda está em processo de transformação, no meio da geleia caótica de um desenvolvimento tosco e lindo. Isso dá uma personalidade difícil demais pra alguns engolirem sem molhar a boca com boas doses de dólares.
Agora, quem quiser viver numa cidade utópica que vá morar em Toronto.

F. disse...

puta zé, pegou pesado irmão. Toronto deve ser muito, mas muuuiiitto chato!
hahahaha abs.

Amílcar Tavares disse...

Pude me rir à brava com os comentários que por cá se fez. Obrigado a todos pelos minutos deliciosos.

Cabo-verdianamente,

Amílcar.

Ju Borges disse...

É, divertido. E eu não sou a única que morro de saudade de Luanda!