segunda-feira, 28 de julho de 2008

"Só quem sabe onde é Luanda..."

Ao ler o post do cacimbo, um amigo quis saber onde, se afinal habitámos a mesma cidade, eu encontrava tanta inspiração? Ele acaba de aportar, logo se vê. Por enquanto tem as vistas magoadas por tantas mazelas que nos saltam à frente à chegada, também a mim sucedeu o mesmo quando cá ancorei minhas mochilas.

Não te respondi na hora, amigo, mas o faço agora: a poesia está nos teus olhos.

Se tiveres paciência, logo vais entender o Gilberto Gil, e então... "saberá lhe dá valor".

8 comentários:

Anônimo disse...

F.,
Somos, pois, todos valorosos!
abs.,
A.

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Devo confessar que também fiquei um pouco impressionada em um primeiro momento quando estive aí, mas é uma questão de tempo para achar o lado positivo do lugar. E do olhar de cada um, claro! :) Bjs.

kianda disse...

Gostei do "a poesia está nos teus olhos", é exactamente isso, procurar sempre o lado positivo...nem sempre é fácil mas se não tentarmos ...

Migas disse...

São os óculos cor-de-rosa que me falaram nos primeiros 15 dias. E concordo que, com o passar do tempo, procuramos outros encantos, outras belezas... Talvez seja também a defesa que encontramos para irmos ficando mais um pouco... um pouquinho mais. :o)

Menina de Angola disse...

Confesso que durante a semana demoro a ver as colores da cidade, normalmente só as vejo no final do dia quando não me canso de ver o por do sol, mas aos finais de semana, tudo muda de figura... como adora os coloridos das mulheres e o riso facil das crianças... o azul do mar e o verde das montanhas... Todos os finais de semana eu fujo para a pria e lá não existe preto e branco...

AP disse...

Como costumo dizer: vejam com olhos de ver, não se limitem a olhar.

Lilás disse...

Falando desse jeito, assim poético,
a gente acaba achando realmente o valor das pessoas e do lugar.
abraço carioca

Anônimo disse...

Fico feliz de ler as postagens e os comentários. Percebemos a possibilidade de que idéias boas agregam pessoas boas. Portanto, vale a pena semear a poesia, o belo, o "sentir". Assim iremos contaminando nosso entorno.
chr