quarta-feira, 2 de julho de 2008

Luanda no cacimbo

Estou pronto a admitir, por mais que eu não acreditasse que isso fosse possível, que está a fazer frio em Luanda. Hoje mesmo, em pleno meio dia, sol indiscreto a brilhar no céu, um vento fresquinho mantinha a temperatura amena.

Nada que exija malhas ou casacos, mas ideal para um kalulu de carne seca com funji e kizaka.

9 comentários:

fernando baião disse...

O Cacimbo, em Angola, é o nosso Inverno.Dura pouco, mas serve para as nossas damas, estilarem as roupas que compraram na Europa ou no Brasil e os homens, desde que foi decretado o uso do casaco e gravata, deixam de suar ou transpirar.

F. disse...

Fernando, eu ainda continuo resistindo ao fato e gravata. Mas como foi essa história de decretar o uso de fato? Nem sabia disso...

fernando baião disse...

Um pouco antes das primeiras eleições, todo o mundo ia como queria para as sessões do Conselho de Ministros. Então foi decretado o uso do fato ou blazer e gravata. A partir daí, o decretado foi extensivo a todos os serviços públicos e outros. Por isso é que o cheiro a catinga aumentou na época do calor, nas elites.

F. disse...

Pra você ver, Fernando. Isso é que é colonização. Que mal havia em toda a malta usar a roupa que quisesse? No Brasil se passa o mesmo. Em pleno verão do Rio de Janeiro, as suar o fato e a gravata. Essa roupa é boa para o frio da Europa, não para os nossos climas tropicais. Por que é que temos de aceitar calados o que o hemisfério norte nos dita?

AP disse...

Eu sou do hemisfério norte, estou em Luanda e concordo com os comentários acima. Não faz sentido, com este clima maravilhoso, usar fato e gravata a toda a hora! No escritório ainda vá lá, mas na rua e com o blazer vestido!?
Caro F. em vez de aceitarem calados o que vos dita (!?) o hemisfério norte, não serão vocês mesmos a aderirem aos seus símbolos de status?
Fica a questão.

Anônimo disse...

"não serão vocês mesmos a aderirem aos símbolos de status"?

Na mouche!!!!!!!!

maria ana

fernando baião disse...

Nos países do terceiro mundo, seja na América do Sul, Europa ou na África, se você não mete o kikuto (fato e gravata)não é recebido por ninguém, nos Bancos e repartições públicas, não trabalha.Você vai impor como? Tem que suar e aderir, e é se quer.A não ser que seja você o dono do país ou da empresa.

kianda disse...

Pra mim, não discordando do calor, quando não se impõe regras no vestir e cada um pode usar o que quiser, não dá certo porque o pessoal abusa ... e isto vale para o chamada "1º mundo"

Anônimo disse...

Não será por isso que dizem: "As aparências enganam"?
Pois é, o marketing evidencia que a embalagem é importante, concordemos ou não, ao menos nesta fase de ascensão consumista da sociedade atual.
chr