quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Arte Angolana Chega à São Paulo, no Brasil

Visitantes observam exposição em Luanda: São Paulo, no Brasil, também verá arte africana contemporânea

Será aberta amanhã, dia 05, em pleno centro de São Paulo, a primeira galeria de arte africana contemporânea em terras brasileiras. Tendo a Fundação Sindika Dokolo como mentora, a Soso será uma espécie de embaixada cultural de Luanda em nosso país. Na abertura, estarão expostos os trabalhos de quatro jovens artistas angolanos das áreas de vídeo e fotografia. A curadoria é do artista plástico e músico Fernando Alvim e a organização do empresário Mário de Almeida, do restaurante Bahia.

Em Luanda, a Fundação organiza a Trienal (a próxima mostra está prevista para 2010, e eu acho ótima a idéia de, na falta de espaços físicos, utilizar outdoors espalhados pela cidade como suportes para as obras. Com certeza irei ver essa exposição e rever Luanda), promoveu a mostra Luanda Pop, na última Bienal de Veneza, e patrocina a banda Next, um grupo que faz música eletrico-afro-acústica e é minha última lembrança sonora do Elinga Teatro. Se saudades matassem, eu estava no esquife.

O mais bacana desta notícia, para além de termos Angola agora mais ao nosso lado no Brasil, é que o novo espaço vai contribuir para a revitalização urbana do Vale do Anhagabaú, uma região belíssima do centro de São Paulo onde está o Teatro Municipal e a Praça da República. O poder público abandonou essa zona da cidade por décadas, mas agora ela renasce, belíssima, sob a responsabilidade da iniciativa privada. Os angolanos marcaram um super gol em estabelecerem-se "nesse sítio".

Instalada num andar do Edifício Seguradoras, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o mesmo que projetou Brasília, a galeria fica ao lado do prédio dos Correios, no comecinho da Avenida São João. Quando você vier à São Paulo, visite a Soso e dê também um pulinho na Pinacoteca do Estado, na Sala São Paulo, no Museu da Língua Portuguesa, no Centro Cultural Banco do Brasil e no Museu Afro Brasil, este último no Parque do Ibirapuera. É um banho de cultura inesquecível percorrer todos esses espaços.

Sucesso para a Soso.

6 comentários:

AM disse...

X.,
Você não perde uma, né? Alias, aqui em Sampa, saio do escritório e vou correndo ver a exposição! O convite é incrível e ficará preso na geladeira por muito tempo. Obrigado. Depois te escrevo contando minhas impressões.
Abraços,
AM

Anônimo disse...

quando li o título do post, pensei:
deve ser um texto da "menina de Angola" e então abri para ler.
Começo a leitura e vem-me à memória a escrita do X.
Quanto mais leio, mais me lembra o X, e no finzinho, afinal, quem postou este texto tão lindo?
O X claro.
Ah, X, saudades das suas postagens aqui, nesta Casa.
Obrigada
Fátima

X disse...

Querida Fátima,
Obrigado pelo carinho. Eu anunciei a despedida, mas confesso que não consigo me desligar da Casa de Luanda. Sempre que der - e a notícia for relevante para a querida Angola - datilografarei algumas linhas nesse blog. Estava olhando o mapa dos Recent Visitors agora e só na Oceania ainda não nos lêem.
Se alguém aí poder me mandar uns pedacinhos das paredes do Elinga, o cheiro do mar da Ilha, o som das kizombas, os sotaques de Luanda e de Lisboa misturados, a vista do Cais de Quatro e o sorriso da Kianda, eu agradeço.
Semana que vem eu vou publicar um post imenso, escrito por um amigo meu, pode esperar, leitora querida.

Menina de Angola disse...

X que legal hem!! Uma pena eu não estar por ai para ver isso de perto. Tenho certeza que vai ser um sucesso essas exposição.

beijao

Jules disse...

A notícia é muito bacana! Gostaria de visitar a exposição, parece bem interessante.

sachisachisachi disse...

oi! eu sou Sachi, da Fundação Sindika Dokolo Brasil. Belo texto sobre o evento. Um super beijo.