quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Malanje

Passei o carnaval no coração de Angola...

Fomos pra Malanje 450km de Luanda, fica bem no meio de Angola, outro mundo! As estradas estão sendo arranjadas então em muitos pedaços tem desvios e buracos, mas dá para ir tranqüilo. Demoramos 6 horas para chegar por causa do trânsito para sair de Luanda.

Chegamos em Malanje que é a capital da província, lá tem praticamente duas ruas, uma que vai e outra que volta. Não há muito que se fazer por lá, tirando a pracinha principal toda florida a cidade ainda está meio abandonada.

No domingo fomos até kangandala que é uma aldeia mais ou menos 20km da cidade em estrada de terra, lá disseram que tem um parque onde existem as Palancas Negras.

Para chegar no parque são mais 25 km após a aldeiazinha em lama pura. No caminho encontramos várias pessoas de bicicleta que estavam levando mantimentos e pediram para a gente levar pra eles e fomos enchendo o carro... fomos indo, indo, indo até que chegou num ponto onde não podia mais passar pq a estrada ainda tinha minas (mais de 6 anos após o fim da guerra). Deixamos um menino com seus mantimentos pra quem nós tínhamos dado carona.

Nessa aldeia bem pequena tinha umas crianças que nunca tinham visto brancos e ficaram com medo da gente. Todo mundo da aldeia saiu para ver e tirar foto com a gente. Lá descobrimos que a entrada do parque era há uns 15 km atrás...

Voltamos a estrada péssima, super tensão durante vários momentos o carro saiu do controle, deslizando na lama... Mas finalmente achamos o caminho certo a estrada ainda péssima até que aconteceu o inevitável. Atolamos!!!

O lugar é maravilhoso parece que você está andando no meio da mata atlântica, um verde incrível... Bom a sorte foi que começou a passar gente de bicicleta um aqui outro ali e fomos angariando ajudantes. Mão na lama, madeira daqui, mato dali e uma formiga africana me mordeu.. Olha doeuuuuu muito!!!!!

Depois de mais ou menos 2 horas e 5 anjos que pararam para nos ajudar conseguimos desatolar o carro e o jeito foi voltar sem ver palanca nenhuma.

Na segunda fomos até as quedas de Kalandula, uns 80km da cidade. O lugar é muito bonito, ficamos o dia todo lá e arrumamos um hotelzinho simples, mas limpinho, aliás, o único da cidadezinha. Essa cidadezinha é ainda menor que Malanje só tem uma rua que vai e volta. Ai vc chega num mirante para ver as quedas espetaculares, dá para andar nas pedras em cima das quedas, vc anda e vê as mulheres lavando roupa e tomando banho (banho de verdade com direito a sabonete e tudo o mais). Mas infelizmente não da para descer ainda para a parte de baixo da cachoeira pq no caminho tinha uma ponte que foi destruída na guerra e ainda não foi refeita.

Na terça fomos para as Pedras de Pungo Andongo, umas formações rochosas que aparecem no meio da planície. O caminho inteiro é só verde, verde, verde. Muita terra fértil e nenhuma plantação. Num país tão pobre onde tanta gente passa fome não dá para entender isso... Mas enfim, as pedras são muito bonitas e tem uma lenda que a Rainha Ginga quando fugiu dos portugueses deixou uma pegada numa das pedras de lá, então o lugar tem uma áurea meio mística também.

No caminho achamos uma plaquinha perigo que havia minas (não na estrada, mas nas matas ao lado da estrada), e depois cruzamos com um macaco enorme atravessando a estrada.

Uma experiência única!

11 comentários:

Anônimo disse...

Oh, meu deus! Parece um continho de fadas! Tinham anjinhos, aventuras de montão e palancas imaginárias! Mas você tocou nos negrinhos? E as minas, eram gostosas? E aguerra (que já acabou faz tempo) fez dodói? Aliás, a pontuação do post caiu nos buracos da estrada? Ah, amiguinha, são tantas dúvidas! Beijo!

Anônimo disse...

Viu pretos/ que horror saia já daí que as comem no caldeirão.Começamos a ficar fartos de pulas.

Anônimo disse...

E qual é o problema de ser preto?

Anônimo disse...

olá menina,

para nossa alegria o nosso anónimo vigilante acordou!Andava meio adormecido tadinho...
Tb de anónimo ele já não tem nada né? Está mais que identificado!!

Ainda bem que gostou de Malanje. É realmente uma província muito bonita, na sua beleza natural. Depois mostre-nos as fotos.
Beijo
Ana

X disse...

Eu estou preparando um post tão venenoso, mas tão venenoso contra esses "anómimos" que quando eles tocarem no teclado dos computadores com seus dedinhos vão morrer em questão de segundos.

Ótima narrativa, Menina! Faça mais passeios como esse por Angola e nos conte tudo.

Não perca tempo com o que diz esse povo que todos nós, pelos milagres da informática, já sabemos quem é e de onde escrevem.

F. disse...

Sabe o que eu acho engraçado, X. e Menina? Quando eu publico aqui umas verdades sobre as pilantragens dos poderosos de Angola, esses anônimos não se manifestam. E vão se indignar com uma postagem inofensiva como essa? Não dá para entender mesmo...

Anônimo disse...

é mesmo F., com aquilo que deveriam realmente preocupar-se, não estão nem aí...apesar de eu achar que o tal anónimo vigilante é sempre o mesmo (ele fala no plural mas felizmente não deve ter muita companhia)

Obrigada pelas imagens lindas da Índia e por nos dar a conhecer um pouquinho desse país.

Bjs para vc e para a P. (saudades das postagens dela tb)

Menina: e então as fotos desse verde de Malanje? E das quedas de Kalandula? E das pedras de Pungo Andongo?

Beijo
Fátima

Suleiman Zanucki disse...

Essa formiga que picou é o quissondo.
Agora e até Março está tudo verde mas se voltar a esses lugares em Agosto/Setembro verá tudo castanho de seco.

septuagenário disse...

Os anónimos que se pronunciam contra a presença de expatriados podem sofrer de vários traumas: Ou são gente com alguma posição social, e que involuntariamente são obrigados a copiar os hábitos desses expatriados, para poder permanecer nesse status social;

ou, que mesmo voluntariamente copiarem os hábitos dos expatriados, e mesmo assim não conseguem um status que almejam.

E nestes casos ou outros semelhantes, traz alguma reação negativa.

É preciso paciência para ouvir, mas o mais dificil são os primeiros 20 anos.

Glauco disse...

Olá.
Sou brasileiro, moro em Santa Catarina e recebi uma proposta para trabalhar em Malange, agora não sei se na cidade, província, sei lá.
A proposta é boa, mas as informações que tenho não animam muito sobre o lugar. Ouvi falar em minas, guerra no Congo (que é vizinho), doenças e precariedade nas estruturas públicas.
Não quero ficar só com o lado negativo de lá, quero saber das coisas boas também, pra poder fazer um balanço antes de me decidir.
Alguém tem informações de brasileiros vivendo lá? Fotos e informações são bem-vindas!

Um grande abraço e parabéns pelo blog.

Glauco Luckmann
glauco.luck@gmail.com

F. disse...

Oi Glauco,

Eu morei em Angola um ano, conheci várias províncias, mas nunca estive no Malange. Acho que você pode tentar um contato com a Menina de Angola, que ainda mora e é a autora deste post. O blog pessoal dela é meninadeangola.blogspot.com.

O que posso lhe adiantar sobre Angola em geral: para começar a considera a proposta de trabalho, a sua empresa deve lhe oferecer moradia, transporte e se encarregar da burocracia de vistos e papeladas. Por mais que o salário lhe pareça tentador, se essas três coisas não estiverem incluídas, esqueça. Alugar um imóvel por conta própria em Angola é uma ilusão. Eu vivi isso na pele, como você poderá ler neste blog. Gastei muito dinheiro e mudei de casa nove vezes em um ano.

Abs,