sexta-feira, 27 de junho de 2008

A culpa é das árvores

De repente comecei a topar com homens trepados sobre as árvores de Luanda (na Maianga, no Maculusso, na Ingombota, por toda a parte) a amputar-lhes os generosos galhos que do sol inclemente nos salvavam durante o verão passado. Achei estranho. Por que tamanha brutalidade?

- É próprio mesmo desta época seca. Cortam-lhes os galhos porque começam a cair as folhas e as ruas ficam muito sujas - explicou-me um amigo angolano.

Cabe a pergunta: seria o caso então de também podar os braços aos porcalhões que enfeitam as ruas com toda a sorte de sujidades e restos de embalagens importadas do primeiro mundo?

Culpar as árvores, era só o que faltava.

8 comentários:

Moira disse...

Aí como cá, embora de formas diferentes a culpa tem de ser sempre de alguém e do tipo: Passa a outro e não ao mesmo.
Não há nada a fazer ...

fernando baião disse...

...E aos mijões que urinam na rua, não se corta nada?

Menina de Angola disse...

Tnho visto isso também... Ontem mesmo estava falando sobre o lixo de Luanda, e como o povo no geral não colabora... Por que sim o governo está fazendo a sua parte, todos o dias vejo pessoas varrendo as ruas e no final do dia já está lá todo o lixo de novo... Será que ninguém consegue entender que é só manter o que já foi feito?

Quanto as árvores.. nem digo nada... já deixei de entender essa lógica, ainda mais num país onde se desvia uma rua por causa de um imbondeiro...

Uma Brasileira nas Arábias disse...

F.,
Cortar os braços ou que tal um coleta de lixo apropriada? Aposto que sai mais barato do que costurar os ferimentos dos porquinhos. Bjs,Paty.

Migas disse...

FBaião, ahahahahah... Demais!!!

F., ainda nem tinha reparado nessa fase de cortar os galhos das árvores, ando mesmo distraída! :o)

Beijo

Emanuel disse...

Esta pratica nao e nova. Faz-se isso desde o tempo colonial, para qd voltar a chuva os galhos nao crescam tanto e fiquem tao pesados que o vento as arranque (nao quebra galhos arranca-as pela raiz). Lembro-me que em 1984 as ventanias derrubaram umas 30 arvores por toda a cidade em cima de carros estacionados e mesmo alguns em movimento. Houve feridos e o governo provincial foi mt criticado por nao poda-las. Desde entao recomecaram a poda-las. Fui.

F. disse...

Obrigado Emanuel, sua explicação ajuda a entender a razão da poda, que nesse caso é mesmo necessária.

kianda disse...

Quanto aos "mijões" acho que o problema é de fundo, o povo sai de casa às 5h da manhã pra vir pra cidade trabalhar, vender na rua, não existem wc públicos, onde querem que as kitandeiras e/ou kingilas e outras, façam as necessidade? Até podíamos fazer todos um bocadinho e abrir os Wc's dos quintais das vivendas às vendedoras que se sentam na nossa porta/rua, e a quem compramos o tomate bem madurinho... sei quem faça !!!