segunda-feira, 2 de junho de 2008

A Grande Família Angolana - Projeto Kalunga

No final dos anos 70, início dos 80, um grupo de músicos brasileiros aportou em Luanda para participar de uma série de shows denominada Projeto Kalunga. Vieram Gilberto Gil, Chico Buarque, Martinho da Villa, Djavan, Alcione, entre outros.

A família de tia Justina estava lá, acompanhando de perto.

- O Chico Buarque veio com a Marieta Severo. Eles foram para Benguela e foi lá que ele fez aquela música “Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela, será que ela mexe o chocalho ou chocalho é que mexe com ela...” – cantarola Ricardo Lobo.

- O Chico queria ficar dançando com as moças, com a mulher ali do lado. Eu hein? Nem bonito ele era... – comenta Natália.

O Chico Buarque não era bonito? Ah se as brasileiras ouvem isso, Natália...

- Não era mesmo. Muito esquisito ele.

Tia Justina lembra a melhor história de todas.

- No jantar com autoridades, o Martinho da Villa já tinha tomado uns copos e de repente começou a dizer: “Ele está aqui entre nós, ele está aqui...” Um dos ministros perguntou: “Camarada, quem é que está aqui?” E o Martinho: “Agostinho Neto! Ele está aqui!” O gajo achava que tinha recebido o santo do Agostinho Neto.

E todos dão gargalhadas antes de partir para a próxima história.

13 comentários:

Anônimo disse...

Gosto não se discute mesmo...mas daí achar o Chico "esquisito"!!!!hehehheheh
acompanho sempre o blog e adoro ..parabéns!

Menina de Angola disse...

F, a coisa que eu mais gosta de Luana é ouvir essas histórias... e como eles gostam de contar histórias, né?!!!

bj

m.Jo. disse...

Será que o Gil,o Martinho da Vila, o Djavan e a Alcione foram considerados bonitos? De repente o "esquisito" do Chico é uma questão de pele...
Abraços
Josie

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Haha! Recebendo o santo do Agostinho Neto ficou bem engraçado. Gostei!
Deve ser ótimo ouvir estas histórias.
E sobre o Chico Buarque, ele pode ser um bom cantor e ter olhos lindos, mas pelas fotos que eu vi dele, não era bonito mesmo não... Está certa a Natália! ;) Bjs.

kianda disse...

Lembro-me, como se fosse hoje, da vinda deles. Projecto Kalunga, exactamente.

Anônimo disse...

...o que fica claro é a preservação dessas histórias na memória do povo. Não a nada melhor do que ouvir "histórias" contada por gente, ao vivo.
chr

F. disse...

Josie, acho que o Anônimo(a) é quem está certo: gosto não se discute, cada um tem o seu. A Natália é portuguesa, deve ter outros motivos para não achar o Chico bonito...

Menina de Angola, de fato as histórias são sempre ótimas e me divirto muito.

Paty, você é uma das poucas brasileiras que conheço a não morrer pelo Chico... Cuidado com o patrulhamento ideológico!

Kianda, você bem que podia contar umas histórias assim pra gente também!

CHR, você ia se divertir muito nessa família.

fernando baião disse...

Pois é. Engraçado, eu fazia parte do comité de recepção.(1980)Tivemos muitas tardes e noites a cavaquear com a delegação artistica brasileira no Hotel Panorama, na Ilha de Luanda, as condições não eram as melhores mas os brasileiros não reclamavam, o calor entre dois povos irmãos era superior a essa pequenas (grandes)dificuldades de um país que tinha arrancado a ferros a sua Dipanda (Independência). Lembro-me bem do Chico Buarque, a personagem mais em evidência, a Clara Nunes, a Alcione,( de quem o nosso coordenador se apaixonou, mais nova e mais magra) o Martinho e o vosso actual ministro Gilberto Gil.O Djavan ainda era candengue como artista, mas o público angolano, sobretudo, o femenino adorou, as canções e as suas jingindu (tranças). Eram 64 artistas, muita gente, eu gostava de ver e falar com as bailarinas(ah,ah,ah). Falando sério, em frente ao mar, Kalunga que dizer tudo o que se refere à água, divindade do mar, até de madrugada escutavamos estórias do combate político brasileiro contra a ditadura e nós, explicavamos o que tinha sido a luta contra o poder colonial e sobretudo,o que passamos nos dois ultimos anos, antes do 11 de Novembro, tudo regado com a nossa cerveja e os sambinhas a dar um calor especial ao romper da madrugada.Foi bonito, são tempos que já não voltam, a militância era a sério, perdeu-se com os tempos.

Celina disse...

Nossa, já tinha gostado da história do post, com o complemento do Fernando, ficou melhor ainda!

Joelma Linhares disse...

Boa noite!

Gente, sou f� brasileira da Alcione. Quero convidar voc�s para prestigiarem eu blog em homenagem � ela: www.morenaforrozera.blogspot.com. Gostaria de saber tamb�m, se voc�s t�m not�cias pra passar sobre o show da Alcione e do Em�lio a� em Luanda!
Um forte abra�o!

fernando baião disse...

Joelma:
Posso informar que o trio, Alcione, Emílio Santiago e Paulo Flores(este, um dos melhores artistas angolanos da actualidade)arrasou Luanda, em três espectáculos referentes aos dez anos da Casa 70, a mais famosa da capital angolana

ELIETE POLITI disse...

AOS SRES.DIRETORES
DA CASA DE LUANDA
PARABÉNS PELA CASA DE LUANDA, CONHECÍ PELA INTERNET,E FIQUEI MARAVILHADA,ESPERO VISITA-LA PESSOALMENTE,
ELIETE POLITI
E-MAIL:elietepolitishows@gmail.com
F:(5511) 9702-6321 / 3743-9091

Anônimo disse...

O Chico sempre foi lindíssimo!Imagina dizer que o Chico não é bonito! Por favor chamem um oculista!