terça-feira, 10 de junho de 2008

Receita para uma tragédia

Ingredientes:
- Desastres climáticos (secas e inundações);
- Restrições às exportações de cereais;
- Aumento do preço do petróleo;
- Subsídios para a produção de biocombustíveis;
- Demanda em alta em economias emergentes.

Modo de fazer:
Espalhe alguns desastres climáticos em regiões estratégicas de produção de grãos e cereais no mundo.

Misture restrições às exportações adotadas por países produtores, preocupados com seus estoques internos.

Acrescente demanda por comida em países de acelerado crescimento econômico. Na China, o consumo de leite triplicou desde 1980; o de carne per capita pulou de 44 libras (1980) para 110 libras em 2007. Isso representa mais grãos desviados para alimentar rebanhos em lugar de alimentar seres humanos.

Aqueça o forno com subsídios para a produção de biocombustíveis. Graças aos incentivos do governo americano, 24% do milho produzido por lá em 2007 virou etanol. E a produção mundial desse combustível pulou de 1 bilhão de barris em 2000 para mais de 15 bilhões no passado.

Como fermento, use o aumento do preço do petróleo, que influencia os custos das fazendas. O óleo é produto-chave na produção de fertilizantes.

Tempo de preparo:
Em dois anos, o índice global de preço de alimentos pulou de 117 (em 2005) para 220 em março deste ano. Esse índice mede mensalmente a mudança de preços no mercado internacional da maioria dos alimentos.

Na prática, significa que desde maio de 2007 a carne subiu 12%, os cereais subiram 89% em média, os preços de óleos e gorduras subiram 77% e o açúcar ficou 40% mais caro.

Segundo um relatório do Banco Mundial divulgado em março, os preços dos alimentos só devem começar a cair em 2010, e ainda assim, dificilmente voltarão a patamares inferiores aos de 2004.

Mas quem se preocupa mesmo com isso?

Fontes: United Nations Food and Agriculture Organization (FAO), Word Bank, Time Magazine (vol. 171, No 20, 19/05/2008)

5 comentários:

Moira disse...

Aqui em Portugal, agora ninguém se preocupa muitocom tragédias, ninguém dá conta dos aumentos dos combustíveis, não se lembram do desemprego, nem da má política do governo e sabe porquê? Porque Portugal está no Europeu! E viva o Futebol, o Scolari, e o Cristiano para animar a malta... vamos ver até quando.

F. disse...

No Brasil também não, Moira. O país produz muita comida, as pessoas jogam toneladas fora todos os dias, acham que isso não é um problema...

Celina disse...

Que texto bem-escrito! Parabéns!!!

Anônimo disse...

Seu texto é de se tirar o chapéu. Quanto á essencia temos sim que pensar muito e tentar contribuir de alguma forma. RD

F. disse...

Obrigado Celina e RD. Pelo número de manifestações no post, acho que somos parte de uma minoria que se preocupa com a questão do preço dos alimentos. Todos estão mais preocupados mesmo é com o preço do petróleo.