domingo, 5 de outubro de 2008

O nascimento de Carlos Unene

Me chamara a atenção aquele miúdo tristonho, filho de uma das alfabetizadoras do curso. Enquanto a mãe assistia a aula, ele ficava ali fora comendo terra e lambendo pedrinhas.
"Dona Miquelita, qual o nome dele?".
"Triste".
"Não, Dona Miquelita. O nome..."
"É mesmo esse, formadora... O miúdo se chama Triste"
"O que é isso, Dona Miquelita? Por que a senhora dá um nome desses pro seu filho?"
"É que ele nasceu mesmo assim, triste, desgraçado. O pai só quer saber da irmã mais velha".
"E qual o nome dela?"
"Felicidade".

Parece piada de mau gosto, mas é sério. Pedimos pra ela contar a história pra câmera, e a prova está no vídeo do post aí embaixo, filmado e editado pelo F.

Depois de muita conversa, Dona Miquelita aceitou mudar o nome do miúdo, desde que eu o batizasse...

Eu queria uma palavra em Umbundo (língua local), e achei que Unene (forte) cairia perfeito. Ela ainda não estava satisfeita. Queria um nome português. Resolvi então abençoar o pequeno Unene com o nome da pessoa que mais admiro no mundo. E assim Triste virou Carlos Unene, xará do meu paizinho e com a força dos que vivem de plantar sorrisos e mudar destinos.

6 comentários:

camy disse...

Meu Deus P.
Não consegui evitar umas lágrimas com o resto da história.
Não bastava já a rejeição e a diferença. Tinha que ser lembrada até nos nomes.
Mas ele será forte sim e feliz também.

Anônimo disse...

História melancólica e... linda. Que bom que vocês apareceram no caminho dessa moça!
h.f.

Anônimo disse...

Não foi só a Camy que se derreteu em lágrimas. Nós aqui do outro lado do oceano tb, não só pela situação da criancinha como tb pelos nomes.Um beijão da mãezinha .

Anônimo disse...

Não foi só a Camy que se derreteu em lágrimas. Nós aqui do outro lado do oceano tb, não só pela situação da criancinha como tb pelos nomes.Um beijão da mãezinha .

Anônimo disse...

P. sua visão de mundo é privilegiada. Conhece o rico e o pobre, o forte e o fraco, o religioso e o ateu, o bom e o mau, o primitivo e o evoluído. Sua missão é minimizar essas diferenças. Você semea bondade, compreensão e amor. Essa criança ganhou mais do que um nome, ganhou a sua benção e o direito de ser feliz. Você é um anjo que o Cosmo nos presenteou.
Te amo.
chr

Anônimo disse...

Com lágrimas nos olhos, concordo com cada linha escrita acima, pelo homenageado desse post.
Celina