quarta-feira, 6 de agosto de 2008

O dia em que Dorotéia conheceu o mar

Ela entrou para a família faz pouco tempo, mas já conquistou seu espaço no nosso coração. Teve um breve período no hospital, para um check-up (ela é velhinha, tadinha). Mas depois mostrou todo o seu vigor e prestou valorosos serviços na mudança para a casa definitiva.

Por isso, este fim de semana, Dorotéia ganhou uma folga e decidiu conhecer o mar.


O destino escolhido foi Cabo Ledo e para chegar até lá, Dorô teve de vencer alguns quilômetros de estrada.

O esforço, porém, foi recompensado. Vejam a cara de alegria da Dorô de frente para a praia.

Depois de um passeio na areia, uma pausa para um café e uma água água.


E Dorô ganhou a estrada novamente, porque afinal, tinha de voltar para Luanda.

No caminho, porém, ela arrumou tempo para assistir ao pôr-do-sol no Miradouro da Lua.

P.S. - Não façam troça dessa cicatriz na fronte, que mais lembra uma antena de rádio. A pobre Dorô é uma heroína, lutou a guerra. Daí veio essa marca da qual nunca se livrou, porque não tem dinheiro para ir ao Brasil fazer cirurgias plásticas.

11 comentários:

kianda disse...

ehehehe F. quando ouvia dizer que ela era velha nunca tinha percebido que ela é velhinha MESMO :-)

fernando baião disse...

Alô F.,
De tão velhilha de certeza que não vai ser assediada, mesmo que vá fazer plástica.
Kandandu

Fer Guimaraes Rosa disse...

que amor de historia. adorei ler e conhecer a Dorotéia, heroina de guerra! :-)

abcs,

Lilás disse...

Ah, até que a Dorô é bonitinha, mas com certeza, uma plástica com o Pitangui e seus assistentes a deixariam com a cara de um cadillac!
abraços cariocas

Anônimo disse...

como eu gostava de ter ir com ela até ao miradouro da lua, um dos sítios mais bonitos daquelas zonas, onde é permitido sonhar tudo...
FR

F. disse...

Pronto, bastou o Fernando dizer que ela jamais seria assediada e já apareceram dois pretendentes. O (a) FR se oferecendo para um encontro no Miradouro (que é realmente bonito) e um pequeno ratito, que esta noite assaltou Dorotéia enquanto ela dormia. Tentou até comer a capa do meu telemóvel. Alguém tem sugestões sobre como evitar roedores em viaturas?

Migas disse...

Roedores até na viatura, F.? Isso está bravo! eheheh Coitada da Doroteia, mesmo! O post ficou bem amoroso! :o)

Abraço

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Que post carinhoso para a Dorô! :)
O passeio deve ter sido bem bonito, né? Bjs.

F. disse...

O passeio foi muito bom, Paty.

Pois é Migas, acreditas? A P. esqueceu umas bananas no carro, o nosso inquilino o invadiu à noite para comê-las.

Anônimo disse...

Que praias, meu Deus, que praias tem a terra adorada que me viu nascer...E eu, aqui tão longe...nesta Europa atulhada de gente, sem espaço para andar, sorrir e acreditar...respirar...
Sei que Angola não merece o que de errado nela se está passando...É bela , é grandiosa no seu esplendor natural...e o povo amado com que vivi no Norte durante 23 anos, devia poder usufruir de tudo o que de bom Angola amada tem para dar.

Uma Angolana Portuguesa, "expatriada" na Europa

Afonso Loureiro disse...

Ai as saudades que tenho da minha "Dorotéia" que ficou lá em Portugal e do seu ronronar de seis cilindros...