sábado, 10 de maio de 2008

Hit da Candonga

O Brasil deu sua contribuição neste dia ensolarado em que tive o prazer de tomar CINCO candongueiros. O tempero brazuca veio em alto e bom som, na voz de José Augusto, com música de autoria própria que, ironias da vida, se chama Sábado.

Vou poupá-los da letra toda, fiquem só com o refrão que o alto-falante da foto aí de cima berrava no meu ouvido:

“Eu já tentei
Fiz de tudo prá te esquecer
Eu até encontrei prazer
Mas ninguém faz como você
Quanta ilusão
Ir prá cama sem emoção
Se o vazio que vem depois
Só me faz lembrar de nós dois… “

Ninguém merece... (se quiser muito ouvir, clique aqui e vá na terceira música da lista)

Bota a kizomba aí, moço!

9 comentários:

Paty disse...

Ai!!! José Augusto não. Acho que pior que ele só Wando. Haha! Os kandongueiros até foram legais contigo, vai! Haha! Bjs.

fernando baião disse...

Os candongueiros quando gritam "S.Paulo, S. Paulo" ou "Aeroporto, Aeroporto" soa melhor ao ouvido, que esse tal de Zé Augusto.

F. disse...

Vocês dois estão certíssimos. Tanto que pedimos ao cobrador para colocar kizomba e todo mundo dentro da candonga caiu na gargalhada.

flavia disse...

Muito engraçado, hahaha.
Mas eu já fui acusada de ser fria e calculista quando reclamei de música brasileira brega aqui (era um pagode). Pior ainda foi quando chamei o Faustão de chato, recebi um: "- Nossa, como és insensível!"

Celina disse...

F., essa música é muito velha, foi gravada há mais de dez anos. Se não me engano, foi tema da novela "Barriga de Aluguel". Muito brega, né?

F. disse...

Fala aí, Flá: "Num vale a pena"
Pois é Celina, pra você ver a situação... O motorista achou que estava agradando a gente com música brasileira...

Paty disse...

Haha! Tentando agradar? Putz! Vamos dar um desconto. O motorista estava com boas intenções, vai! Não tinha como saber que José Augusto era o fim da picada... Pelo menos agora você já ensinou a ele... :p

Anônimo disse...

Gente, música é música, e toca o coração de cada um de forma única.
chr

F. disse...

CHR, cê tem razão... Mas nesse caso estava mesmo é tocando o ouvido. Podiam, pelo menos, baixar o volume...