quarta-feira, 28 de maio de 2008

Como nos tempos do apartheid

Em 2005, quando estive na África do Sul, chamou-me a atenção o clima de ódio racial no ar. Cheguei a escrever sobre isso no meu diário de viagem.

Parecia-me que, a qualquer momento, uma revolta da imensa população negra pobre contra a minoria branca rica descambaria para uma onda de violência desenfreada.

A onda chegou, mas bateu nos negros oriundos de outros países que vivem na África do Sul. Pelo menos 56 pessoas foram brutalmente assassinadas e outras 100 mil foram expulsas de suas casas.

O governo decidiu criar campos de refugiados para os estrangeiros. Os negros indesejados na África do Sul vão viver atrás de cercas.

Gente assassinada cruelmente, negros isolados em guetos... Exatamente como acontecia nos tempos do Apartheid.

Recebi por e-mail imagens feitas por um fotógrafo que acompanha o conflito. Como as imagens são fortes, deixo a cada um a decisão de abri-las. Se quiser vê-las, clique aqui. Ela estão acompanhadas pelo relato do fotógrafo que, infelizmente, não se identifica no e-mail.

9 comentários:

Vivi disse...

Só consegui ver a primeira imagem. Muito forte. É neste tipo de situação que eu começo a achar que o mundo talvez não tenha jeito. Muito triste.

Menina de Angola disse...

Puxa F. como é difícil acreditar quem 2008 aconteçam cenas de brutalidade como essas. Pessoas torturando, matando friamente um semelhante que não tem culpa de nada...

As fotos apesar de fortes e impressionantes são muito boas, tem de ser muito profissional para conseguir realizar um trabalho como esse.

bj

Migas disse...

Não há muito a comentar as imagens e os acontecimentos. Como dizia algures o texto, uma barbaridade. É muito triste negros a lutar com negros. Mas pior do que isso, Homens a lutar com Homens. É sempre tão fácil culpar os outros para justificar a nossa desgraça, não é?

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Eu senti a mesma coisa na África do Sul.
As fotos são chocantes mesmo. Nossa, fiquei de coração apertado.
Eu não sei de onde vem tanto ódio e a incapacidade de perdoar. Eles sofreram tanto com o apartheid e agora fazem o mesmo? :(
Paty

fernando baião disse...

São cenas chocantes que impressionam, mas sejamos realistas não é só em África que isto sucede, em vários continentes já vimos este filme, na à Ásia, América Latina e mesmo Europa, com as suas grandes guerras, não esquecendo a invasão do Iraque e o tratamento dado aos prisioneiros de guerra.Enfim, o mundo cão está aí.As promessas feitas aos sul-africanos negros com o fim do Apartheid, de que seriam tão ricos como os brancos, foi pura demagogia e agora vingam-se nos desgraçados dos estrangeiros que são tão pobres como eles.A comunidade chinesa é importante na África do Sul, ricos, andam de mercedes, mas ninguém os ataca.Porquê? Os povos são complicados.

F. disse...

Vivi, eu também custo a acreditar que ainda existam pessoas capazes de fazer isso a outra pessoas, mas a verdade está aí.

Menina de Angola, realmente os fotógrafos que estão acompanhando esses acontecimentos devem estar abalados com o que estão presenciando.

Migas, tô contigo e com o Fernando nessa: homens matando outros homens barbaramente, seja em guerras, seja em revoltas urbanas como essa de agora.

Fernando, você tem razão quando cita que acontecem barbaridades desse tipo no mundo inteiro. E nós sabemos, no Brasil, nos morros cariocas, acontecem coisas horríveis também como os microondas em que queimam pessoas vivas. Só citei esse caso específico por ser o mais recente. E eu estava com a sensação de que, fora da África do Sul, as pessoas estão achando que é só mais uma desordem de massa, sem a real dimensão do que está acontecendo. Por isso coloquei as fotos. Abs,

fernando baião disse...

F., mandei mais umas fotografias horríveis para o seu email, o mundo "enmaluqueceu". Kandandu

fernando baião disse...

Mais um fim de semana alargado para o povo angolano descansar, pois mata-se a trabalhar. Enfim, boa disposição é que é preciso, esquecer as malambas da África do Sul e um bom fim de semana. Kandandu forte para o casal

Anônimo disse...

Não importa onde aconteçam, pensando em Cristo, simplesmente um HUMANO, "....eles não sabem o que fazem".
Que nossas consciências nos iluminem para caminharmos no sentido do amor fraterno e Universal.
chr