sexta-feira, 9 de maio de 2008

Quem pode manda...

Rua Joaquim Kapango, 7h45, o trânsito todo parado em direção ao Largo das Ingombotas. Várias sirenes gritam ao fundo e duas mulheres conversam caminhando na calçada:

- Olha esse tráfego a esta hora!
- Está parado assim para o dono do país passar.

Quando o presidente da República ou os ministros de estado se deslocam, os batedores da polícia fecham as ruas – não importa o tamanho ou a importância da via para o trânsito – para que os digníssimos possam passar. Vale tudo para furar o congestionamento que atormenta os outros 6 milhões de almas: contra-mão, alta velocidade, furar sinal. Só exemplos cabeludos de tudo o que você não deve fazer ao volante.

Todos os outros carros param e ninguém pode se movimentar, sob risco de vida. Outro dia, o motorista de um brasileiro pensou que o cortejo tinha terminado e tentou sair com o carro. Os batedores que vinham atrás arrancaram-no do volante e o espancaram no meio da rua.

É assim, padrinho... Quem tem juízo obedece bem quietinho.

7 comentários:

Anônimo disse...

Isso me fez lembrar Moscou - é assim mesmo, todos param para os chefes passarem, todos os dias.Com o tempo todos se acostumam.....RD

F. disse...

Aqui também já estão todos acostumados, RD. Até porque não tem mesmo outro jeito.

Menina de Angola disse...

Nem me lembre, esse dia foi horrível, fiquei horas no transito... Mas a pergunta que não quer calar: Pq esse povo não vai de helicoptero?

fernando baião disse...

F,é assim há muitos anos, muitos já foram baleados. Mesmo quando não é o cortejo presidencial, basta uma sirene, dois polícias de moto e dois carros atrás, e todo o mundo encosta.Trãnsito em Luanda, Ngana Zambi,no outro dia, uma terça-feira, cheguei da Corimba ao Hospital Josina Machel ao meio dia, tinha reunião no Ministério das Finanças(Mutamba) à uma, cheguei eram duas, só descer aquela avenida até lá abaixo. Uma hora da tarde, estou em frente ao Cemitério do Alto das Cruzes, só descer o eixo viário, ia almoçar ao Chá de Caxinde às duas e cheguei às cinco e um quarto.Aiué, mon Dieu, meu stress!!!

F. disse...

Realmente, Fernando. O trânsito é muito ruim mesmo. Eu consegui escapar até agora porque não tenho carro e só ando a pé. Mas agora a festa acabou: vou ter de comprar um carro.
Menina de Angola, também não sei porque esse povo não usa helicóptero. Talvez o Fernando tenha alguma idéia?

fernando baião disse...

Andar a pé faz bem à saúde, mas em Luanda ainda apanhas uma das nossas doenças, a lama, a poeira, os excrementos, os gases dos carros, etc, etc,são bwé.Em Luanda, infelizmente, sem casa, sem carro, sem televisão ou internet é o fim. O consolo é a praia no fim de semana e mesmo assim depende da praia.O problema do trânsito só com a descentralização dos serviços, continuam a "afogar" a baixa com prédios e mais prédios gigantes, assim não vamos lá, mas o capital pia mais fino, a especulação imobiliária já é uma pandemia nacional.Estamos juntos nestas malambas.

F. disse...

Pois é Fernando, eu agora estou quase entrando no time dos que têm carro e ficam parados no trânsito...