sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Como tirar-me do sério # 1

O que realmente “guardam” os seguranças? Os bancos, as empresas ou casas que lhes pagam os salários ou, o meu carro? Desde que moro na cidade tenho de explicar aos guardas do banco do lado que eu não vou dar 200 TODOS OS DIAS. Dou ÀS VEZES, como lhes explico. Ora uma vez dou a um. Ora outra vez dou a outro. Diziam eles que havia muitos bandidos, naquela zona. Ya... e eu, sou o monstro das bolachas. Por vezes, quase que preciso pedir desculpa por ter o meu carro estacionado à porta do prédio. E explicar que hoje, não vou dar nada. Já dei anteontem. Ora, tentar explicar isto, é tarefa difícil. Ao mesmo que dei 200 kwanzas anteontem, explicava hoje que não lhe daria todos os dias e que já lhe tinha dado anteontem. Além do mais o M. tinha dado ontem. A cara de rambo em cuecas mantinha-se à espera de que eu sacasse de 200 kwanzas e lhe desse, já agora, com um abraço e um beijinho.
Eu: Já te dei anteontem 200 kwanzas. Não tenho hoje. Hoje não dou.
Guarda, com cara de rambo em cuecas: ah?
Eu: Já te dei ANTEONTEM 200 KWANZAS. HOJE NÃO.
Guarda, com a mesma cara de rambo em cuecas: onde, onde?
Eu: ANTEONTEM. ANTEONTEM. ANTES DO DIA DE ONTEM.
Guarda: Onde, onde?
Eu, com cara de sapo cocas com vontade de espancar a miss piggy: HOJE NÃO.
E fui à minha vidinha. Acrescente-se isto ao facto de ainda não serem 7 horas da manhã e eu estar mesmo capaz de cuspir fogo ao rambo em cuecas que acha que eu sou mãezinha dele. Luanda cansa. E hoje, ainda nem comecei o meu dia e, já estou cansada.

8 comentários:

F. disse...

Cara Migas, ri-me a valer com o rambo em cuecas... tu és demais mesmo! ahahahahaha
Mas já pra agora, sei bem como cansa essa situação. Da primeira vez em que passei uns tempos na casa do A., do Diário da África, quando ainda levava a vida de peregrino luandense, parqueava a Dorotéia na rua todos os dias. Pois o proteção de uma das casas, bêbado, vivia a me importunar com pedidos de dinheiro. Nunca dei nada. Acho que a melhor forma de lidar com isso é cortar desde o início com cara feia e tudo. Agora, de fato, cansa muito mesmo o "dá só 200"...

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Haha! Gostei! Será que já não é mania pedir ou acham que é sua obrigação dar-lhes algum dinheiro? Ora, bolas, gorjeta é dada por espontânea vontade, não por obrigação. Isso cansa mesmo, e irrita ainda por cima... Bjs.

Diário da África disse...

O F. de fato sofreu com o mala do proteção nosso vizinho.
Eu mesmo me estressei com o sujeito quando a P. esteve lá para nos ajudar a descarregar um móvel que havíamos comprado.
Depois de ter de repetir três vezes para o sujeito nos dar licença, agora convivo com cara feia e risinhos irônicos.
Não dá mesmo para ser simpático.
Os seguranças de uma casa vizinha queriam que eu desse dinheiro para eles não deixarem ninguém estacionar na porta da garagem lá de casa.
Pode?

Fer Guimaraes Rosa disse...

Hahaha! Lindoca, so voce para enfrentar o rambo de cuecas assim... Mas dah raiva, hein? Que eh isso? Extorsao, com certeza!

beijaooo e um otimo finde,

Migas disse...

F. o nome é intencional! ahahah Ou achas que este meu rambo, se alguém estivesse com ideias de assaltar o meu carro ia de alguma forma defendê-lo do bandido? Qual rambo, qual quê. Às tantas ainda se escondia para que não fosse ele também o alvo. Um dos meus colegas até já disse que ele tem arma. Ui, que medo. Eu se fosse ladrão, era mesmo capaz de me intimidar por um guarda metido a rambo aka protector do meu carro! Oh pá, afinal estes gajos controlam o quê? O meu dinheiro. Só pode! ahahah Eu continuarei a dar às vezes. 1/2 vezes por semana. É que a menina tem muita letra mas no fundo tem respeitinho por não estar no seu país. E também do bicho papão. Agora, sempre não! Pfff, não tenho paciência para estes tipos... Aliás, nem em PT tenho paciência para arrumadores e companhia, fará aqui que nem arrumadores são... Olhem, hoje estou com o telhado (expressão vulgarmente utilizada por mim para dizer que estou com uma grande telha... ahahahah)

Beijos e bom findi!

Anônimo disse...

Tem que se dizer "onteontem" para perceberem de que dia se está a falar senão é uma trabalheira dos diabos.

PS- já lá estive muitas vezes e credo... não há paciência.

Anônimo disse...

tem toda a razão - Luanda cansa!
Por isso é que me vim embora.
É como diz - autênticos rambos e hão-de sê-lo toda a vida.

Menina de Angola disse...

Migas,

Vc mudou de casa? Ta morando na cidade agora? O pior é que ando a roubar carros mesmo na cidade, a prestação... mas roubam. Um amigo meu toda semana roubavam uma parte do carro, um dia um espelho, no outro uma lanterna, na semana seguinte o vidro traseiro, rádio e estepe... Até que finalmente foi se o carro inteiro... E os "rambos de cuecas" nunca viam nada, mesmo ele sempre dando os 200 kz...

Difícil, mas digo isso não é privilégio de Luanda, os franelinhas como são chamados os guardadores de carros em SP são insuportáveis e eu não tenho a menor paciencia com eles...

bj