terça-feira, 30 de setembro de 2008

Pelas Províncias - Benguela

Como já disse uma vez a Flávia, "se esta casa não fosse só de Luanda..." Pois esta semana resolvi botar a mochila nas costas para conhecer as províncias de Angola. E a primeira é Benguela.


Praça do Governo Municipal

Localizada a 692 quilômetros de Luanda, Benguela é considerada a segunda economia do país. Estima-se que tenha 600 mil habitantes (faz muito tempo que não se realiza um censo por aqui) e tem o Porto de Lobito, o segundo mais importante, que está passando por uma reforma avaliada em 1,8 bilhão de dólares.

Praia Morena, na orla da cidade de Benguela, capital da província

A capital da província também se chama Benguela e tem como principal ponto turístico a Praia Morena, que atrai milhares de pessoas nos finais de semana. Durante a semana, sua areias ficam vazias, apenas com alguns garotos a jogar futebol, ou crianças a tomar banho no mar gelado no intervalo das aulas. O sol é forte em Benguela, mas a brisa fresca que sopra do mar (pelo menos nesta época do ano), diminui a sensação de calor.

Alpendre do restaurante GMX, na beira da Praia Morena

Comparada com Luanda, Benguela parece um lugar mais arejado. As ruas são mais largas, mais limpas, existem ainda mais casas com quintais do que edifícios. O trânsito é mais disciplinado e bem mais leve, os carros param para os peões atravessarem e há sinalização de trânsito. Até os candongueiros estão mais bem conservados.

Fonte numa das rotundas: motoristas bem mais disciplinados

Há uma quantidade enorme de motocicletas que fazem o serviço de Cubabata. A palavra, em umbundo, significa "a rascar", como tentaram explicar-me alguns angolanos a quem pedi ajuda. Como brasileiro, fiquei na mesma, claro. Na prática, é o que chamamos no Nordeste de mototáxi.

A sede do MPLA, num dos largos (praças) principais da cidade

As sedes do Tribunal Judicial (esq.) e do governo municipal

As praças são ornamentadas com palmeiras imperiais gigantescas e os prédios históricos estão bem conservados. São usados como sedes das instituições públicas. Infelizmente não pude fotografar o Banco Nacional, na mesma praça do início do post e vizinho do Governo Municipal (acima), nem a sede do Governo Provincial. Mas não por causa da neurose que impera em Luanda, onde é proibido fotografar prédios públicos. O problema foi a luz. Os dois estavam contra o sol.

Rosa, vendedora de abacates, com seu bebê, João, de apenas um ano e meio

O que há de melhor em Benguela, porém, é seu povo. As pessoas são mais fraternas, mais tranquilas. Dizem bom dia aos estranhos nas ruas, gostam de ser prestativos, de dar informações, de ajudar os estrangeiros. Ninguém me pediu dinheiro na rua até agora!

As pessoas aqui, acreditem, estão sempre sorrindo. Algo difícil de se ver nas ruas de Luanda.

12 comentários:

m.Jo. disse...

Nossa! Acho que estou precisando de uma temporada em Benguela. Prá recalibrar.
Boa viagem!

septuagenário disse...

A independência de Angola foi quando era presidente do Brasil o general Geisel, e em Benguela nunca tinha havido guerra e era toda a gente feliz, e muitos colonialistas e naturais de Benguela e outras cidades, foram para o Brasil, porque a guerra a sério ia começar geral, e pensavam que no Brasil a vida ia ser bonita como era aqui. E no Brasil, nesse tempo o povo não sabia que Portugal ainda tinha colónias, e as crianças brasileiras perguntavam às crianças angolanas na escola se conheciam o Tarzan e a Cheta.
Obrigado Geisel

Diário da África disse...

Que inveja de vcs!!!!
Tô chegando amanhã.
Vou curtir um pouco de Lisboa.

Anônimo disse...

o Lobito tb vale a pena conhecer e é aí tão perto...
e se estiver de carro vá ao Lubango e ao Namibe...vai gostar!

Moira disse...

Lobito e Benguela, que saudades! Apesar de criança na época, lembro muito bem de como era bom viver por aí. Vivi na Catumbela algum tempo mas disso já não me lembro muito bem. Mas lembro com muita saudade a restinga no Lobito e os flamingos cor de rosa ao final da tarde vistos da minha janela.

fernando baião disse...

Benguela, terra das acácias rubras. Já foi capital do Reino de Benguela. Terra da mestiçagem, da praia Morena,tem as mulatas mais lindas de Angola, daí o chocalho amarrado na canela, "morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela,será que ela tá caprichando no peixe que eu trouxe de Benguela", grande Chico Buarque.Boa estadia F., canta as belezas do nosso país, te agradecemos. Fica bem

Migas disse...

A ver pelas fotos, tenho ainda mais certezas de que era feliz aí! Muito!!! Aproveita bem a viagem e mostra-nos o que de bom este país tem! :o)

A foto da moça com o pequeno João, está de apertar o coração!

Beijos

P.S. Esta semana também irei para o Huíge, mas em trabalho. Depois, deixo algum registo. :o)

kandanda disse...

OH doçura da minha saudade...em terras bentas de Benguela deixei um seripipi fadado! Não me digas que Azur tem mar nem tão pouco Tavira e muito menos Seicheles, praia é em Benguela, profundas de sublime turquesa nas cálidas águas das brilhantes areias rosa de turquesa com esvoaçar de flamingos em tonalidades de fogueira!

Anônimo disse...

... O termo "kupatata" é um verbo da nossa língua Umbundu e significa "apalpar", segundo me explicou o Ti Justino Sandande, oriundo do Bié. O termo é sugestivo. O Ti Justino disse-me que "kupapata" significa "chegar em todo o lado", numa alusão ao facto de a motorizada entrar em locais onde os automóveis não chegam, isto é, apalpar o terreno.
Já um colega meu de Benguela transmitiu-me a seguinte lição sobre o termo. Kupapata é aquele que vai sentado atrás do motociclista e, ao chegar ao término da viagem, fica a apalpar os bolsos das calças à procura do dinheiro para pagar....
(In: Mateus Kisekula,Motoqueiros ou kupapatas?)

Boa Viagem...Ainda vai encontrar Kupapatas no Huambo, Huila...

Ana Joaquina

F. disse...

Ana Joaquina, obrigado pelo esclarecimento. Vou acrescentar o termo no dicionário.
Kandanda, a saudade está a te transformar em poeta.
Migas, estamos ansiosos para ler tuas impressões do Uíge.
Moira, está na hora de voltar para matar as saudades.
M.Jo e Diário da África, vocês precisam arrumar tempo mesmo para vir. Benguela vale muito a viagem. E o Lobito, como sugeriu o anônimo, é maravilhoso também.
Fernando, depois de conhecer Benguela passei a entender melhor a letra do Chico Buarque.
Septuagenário, o Geisel tinha lá sua culpa. Mas não sozinho. Até hoje ainda tem brasileiro que pergunta qual a língua que se fala em Angola. Infelizmente é verdade.
Abs a todos.

Reinaldo disse...

Oi, eu já fiz alguns comentários neste blog antes. Moro em Benguela a dois meses, e pelo que ouço falar, morar em Benguela é quase um paraiso se compararmos com Luanda.
Aqui se pode sair para passear a pé, sem preocupações algumas, todos são realmente muito simpaticos e tentam ajudar de todas as maneiras, e estão sempre com um belo sorriso no rosto.
Mas Benguela tem muito mais. Lindas praias ( Baia Azul, Caota, Caotinha, Baia de Santo António, etc ), praças maravilhosas, casarões históricos, mas o que acho que é mais bonito, são as pessoas daqui.
Bem perto, tem a cidade da Catumbela, Lobito, Baia Farta, todas com suas belezas, principalmente a Restinga em Lobito.
Vale um passeio por esses lados

ELCAlmeida disse...

Meu caro, permita-me esta liberdade, a esplanada que orla a Praia Moreda é conhecida, ainda hoje, pelo "porta-aviões". E se falarmos em "notas verdes" ficaria riquíssimo se me oferecessem uma de Francklim por cada casalinho que por lá passou num simples namoro ou...
Abraços
Eugénio Almeida