terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Algumas razões para visitar a Namíbia

Muitos amigos tem me pedido dicas de viagem pela Namíbia, depois da propaganda que fiz aqui na Casa. Então, lá vão alguns motivos para cruzar a fronteira de Angola – ou o Atlântico, dependendo de onde você está:


O carro que alugamos por USD 92 por dia
Dirigir é muito fácil – As estradas são bem conservadas, mesmo as que ainda são de cascalho. Não existem buracos. No início do ano dirigimos mais de 3.500 km pelo país sem ver um único buraco. Nem no Brasil isso existe. Nas estradas de cascalho a conservação é tão boa que é possível dirigir a 70 km/h sem sustos. As ruas e estradas são bem sinalizadas, não tem como você se perder. É permitido virar para qualquer dos lados sem cair numa armadilha policial e quando você é parado, só lhe pedem a carteira de motorista. Nada de gasosas. Único incoveniente: dirige-se do lado esquerdo da rua, como na Inglaterra. Mas você se acostuma rápido. O aluguel de uma Toyota Hylux 4X4 totalmente equipada para camping, com duas barracas no teto e seguro total cobrindo inclusive pneus e vidros sai por volta de USD 90 adiária. Para um carro turismo normal é possível pagar a partir de USD 29. Pode parecer caro para quem vive no Brasil; é de graça para quem vive em Luanda. Nós alugamos com a Advanced Car Hire, uma turma bem profissional, mas eles só trabalham com carros 4X4.

A piscina do Opuwo Country Lodge

Os preços são muito baratos – Para quem vive em Angola, não há comparação possível. Uma diária num resort dentro do Etosha National Park, por exemplo, sai por volta de USD 100 por casal. Com pensão completa, em bangalôs totalmente novos, com AC, banheiro privativo, piscina, etc. etc. etc. Esse ainda é dos mais caros, porque é gerenciado pelo governo e fica dentro do parque. Do lado de fora você encontra belíssimas opções de hotéis de charme por preços a partir de USD 50 por casal. Além disso, tudo é muito mais barato, e com qualidade muito melhor do que em Angola. Um jantar completo com uma garrafa de vinho para duas pessoas nos restaurantes dos hotéis gira em torno de USD 30. Em Windhoek, pode-se conseguir preços ainda mais baixos. E tudo isso em ambientes charmosos, bonitos, bom serviço e boa comida. É como se você estivesse na Europa, mas sem os preços em Euros, que encarecem tudo para quem vem do Brasil. Para opções de hotéis ou mesmo pacotes completos, consulte a Chameleon. Eles fizeram nossas reservas nos lodges e foram impecáveis.

O país está preparado para receber turistas – Os hotéis são realmente muito bons, confortáveis, limpos, bonitos, novos. Todas as estradas tem placas indicando as entradas para os hotéis. Nós viajamos duas semanas sem levar um único endereço conosco e não nos perdemos nenhuma vez. As pessoas são genuinamente hospitaleiras, simpáticas, querem realmente ajudá-lo sem esperar nenhum dinheiro em troca, como muitas vezes acontece aos turistas no Brasil e em vários outros países pelo mundo. Você se sente seguro andando pelas ruas.

A savana dourada no deserto

As atrações valem a viagem – O país é realmente lindo, com uma paisagem das mais ecléticas. Desde as savanas douradas cobrindo os campos secos do Deserto do Namibe até as florestas temperadas ao redor de Windhoek, passando por dunas de areia lindíssimas em Sossusvlei. Os animais vivem soltos por todos os lados e, se tiver sorte, você vai vê-los pelas estradas mesmo antes de entrar no Etosha.

As dunas de Sossusvlei

Uma dica importante: troque algum dinheiro assim que chegar ao aeroporto de Windhoek. Especialmente se for noite ou final de tarde. As taxas do Thomas Cook do aeroporto são praticamente as mesmas das cidade, onde tudo fecha às 17h. Se você não tiver dólares namibianos ou rands (dinheiro da África do Sul), a única forma de pagar suas contas será o cartão de crédito internacional, mas alguns postos de gasolina não os aceitam. Quem vive em Angola se acostuma a usar dólares americanos em qualquer lugar, mas na Namíbia ninguém aceita dinheiro estrangeiro, com exceção do rand, que tem o mesmo valor do dólar namibiano e é largamente aceito. Os cartões de crédito internacionais podem ser usados para sacar dinheiro nas ATMs, se você estiver em apuros.

No próximo post vou publicar uma lista das atrações. Não sai da linha que eu já volto.

2 comentários:

RFL disse...

Pode parecer caro para quem vive no Brasil; é de graça para quem vive em Luanda.
^^^^^^^^^^
Quanto vcs ganham? ;-)
US$ 90 é de graça para quem vive em Luanda?

F. disse...

Meu caro RFL, não se trata de quanto nós ganhamos. Em Luanda, o aluguel de um carro simples custa a partir de 100 dólares por dia. Um 4X4 como esse, certamente, sai muito mais caro. Os preços em Angola são muito altos, especialmente para os estrangeiros. Por isso quem sai de lá para a Namíbia acha tudo muito barato. Agora que estou na Índia há um mês, já estou achando 90 dólares muito caro também.