terça-feira, 15 de abril de 2008

Algumas palavras

As fotos do último post da P. são chocantes, porque o mercado informal de São Paulo é um descaso a céu aberto, exalando seus odores podres de miséria em plena luz do dia a poucos quilômetros do centro de Luanda.

O governo finge que está tudo bem, afinal, quem joga esse lixo todo nas ruas e entope os esgotos é o povo.

Os ambulantes fingem que está tudo bem, pois dali tiram seu sustento em notas amarrotadas de kwanzas.

Os milhares de compradores fingem que está tudo bem, basta enfiar os pés em sacolas plásticas e prender a respiração para pagar os preços mais baratos da cidade.

E as senhoras seguem fritando coxas de frango em panelas aquecidas por carvão a poucos centímetros do lixo; os adolescentes oferecem livremente bugigangas eletrônicas feitas por trabalhadores escravos na China; os negociantes vietnamitas vendem cama, mesa e banho nos armazéns por um terço do que se cobra nas lojas da cidade.

O sol torra as cabeças, o fedor aumenta, as crianças enchem as barrigas de vermes em mais um dia no meio do lodo, do esgoto e do lixo que a natureza nem sabe se um dia vai decompor.

Mas tudo está bem. No final do dia, algumas cervejas abertas e algumas lingüiças no churrasquinho bastam para estampar sorrisos banguelas nas caras sujas.

Alguns goles depois, todos já terão esquecido a miséria desgraçada em que vivem no país do petróleo e dos diamantes.

18 comentários:

Sharon disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
maria disse...

Será que li bem? "A Sharon 2 horas de trânsito pra percorrer 9 km em São Paulo?" Parece q ela vive em Luanda :)
F.;), cá estou eu a ler e a comentar no teu blog :)

F. disse...

Sharon, maluca, até que enfim você apareceu. Comente sempre, viu, mas fique de ligada: a gente só usa iniciais neste blog.
Maria, São Paulo é de longe muito pior. Eu nasci e cresci lá, por isso posso te dizer que prefiro Luanda! Obrigado por nos prestigiar. É uma honra te ver por aqui!

Viver em Luanda disse...

Caro F.

Acho que você já pegou o espírito da coisa... Está tudo bem... Uma Cuca... o Kuduro...o Semba a Kizomba...

A verdade, na minha percepção, é que existe uma descrença enorme nas instituições. Ninguém reconhece mais a quem reclamar.

Vivem do jeito que dá. E todos vivem mal... os despossuidos e os possuidores...

O que você viu em São Paulo não é muito diferente de outros lugares da cidade de Luanda... qualquer mercado é assim... visite o Mercado dos Congoleses... vá ao Cassenda... ao Rangel... ao Sambizanga... quer pior... vá ao Kikolo.

Culpar o "homem" é ser romântico. A culpa é do cidadão. Ser político que se omite.

Todos os dias tento me convencer e convencer alguns que há que se reagir a tudo isso.

E veja, São Paulo (no Brasil) não é pior. Lá é difícil mas as pessoas (cidadãos) se manifestam e reivindicam. Aqui, ao que parece, está tudo bem... ninguém protesta.

Forte abraço,

Vivi disse...

A culpa é do povo. Adoram dizer que a culpa sempre é do povo. Mas tudo é efeito de uma cadeia alimentar nada justa. Se o povo consegue abrir uma cerveja gelada no final do dia e achar que está tudo bem, isso é culpa de uma educação capenga.
Aliás, adoro este novo blog. Todo dia que entro aqui, me faz refletir sobre o tipo de vida que estamos levando. Predadorismo puro regado a muita ganância.
Já que vcs são minha única visão de Luanda, gostaria de saber a quantas anda a educação nesta região.

Nancy Casagrande disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
F. disse...

Hélio, não acho que São Paulo, no Brasil, seja pior em termos de consciência política. Nesse ponto, você tem toda razão. Acho o trânsito de lá muito pior, porque lá vivem quase o três vezes mais habitantes. E com um agravante: é impossível abrir mão de um carro, coisa que consigo fazer aqui.
Vivi, acho que o seu questionamento sobre educação pode render um post da P., que afinal está a trabalhar justamente na área...
Nancy, minha maninha querida, não estou a virar as costas. Mas é que você só percebe como é ruim viver em São Paulo depois que sai daí. Todos os lugares têm defeitos, sem dúvida... Mas em São Paulo, como eu disse ao Hélio, não dá pra viver sem carro, como vivo aqui e vivia no Rio. Isso faz uma diferença absurda na qualidade de vida. De verdade.

Viver em Luanda disse...

Caro F.,

Isso de depender de automóvel vai muito do estilo de vida de cada um. Eu penso que poderia sobreviver sem carro em São Paulo (BR). A infraestrutura que lá existe permite isso.

Aqui dependo dele, e ainda de motorista. Transporte público é meio complicado. Não me sinto confortável em dirigir pela cidade. Questão de educação. O trânsito é selvagem, não necessariamente violento.

Mas são as pequenas coisas que vamos convivendo. Não reclamo.

O que mais me incomoda é a passividade social e política. Mas cada um tem o seu tempo.

Mas o que eu sinto muita falta do que tem em São Paulo (BR) e aqui ainda não encontrei (já ouvi falar que tem) é de um sushi... o resto eu passo bem sem...

Forte abraço,

Hélio

F. disse...

Hélio, quando achar o sushi conta pra gente. Abs.

Migas disse...

Eu não conheço São Paulo (Brasil) com muita pena minha. Aliás, Brasil é sem dúvida um dos países que gostaria de conhecer. Por isso, a minha opinião vai ser de quem conhece apenas uma realidade. O trânsito aqui é caótico. Ponto. Em Portugal eu também me queixava do trânsito mas depois de ver isto nunca mais o trânsito em Portugal vai ser o mesmo. Não concordo que se possa viver em Luanda sem carro. No meu caso, a viver em Luanda Sul e a trabalhar na cidade, era impossível viver sem carro. O que eu acho, e são só opiniões de quem não conhece o Brasil, São Paulo terá concerteza mais escolhas do que aqui. Tem rede de transportes públicos que aqui não existe. As estradas não ajudam mas, o pior para mim, é mais a falta de civismo dos condutores. Quando me refiro a condutores não falo apenas de angolanos. Aliás, entre angolanos e estrangeiros, venha o diabo e escolha, quem conduz pior!

Migas disse...

Ah, quanto ao sushi já comi no Belas Shopping mas, sinceramente não gostei. Desconheço se os muitos restaurantes asiáticos da ilha terão. Já passei por todos (até à um mês atrás, trabalhava com asiáticos - não chineses) mas, nunca comi sushi nesses.

F. disse...

Migas, é por relatos como o seu, sobre o trânsito luandense, que pretendo continuar sem carro. Ando a pé por quase toda a cidade. É verdade que o calor, em alguns momentos, desanima. Mas a cidade, pelo menos no centro, é bem pequena e as distâncias são curtas. Agora, para quem mora em Luanda Sul, realmente, não há alternativa... Só de carro.

Irina disse...

Ultimamente tenho feito algumas visitas a Angola. Nesta última, fui conhecer o tão falado e agitado mercado fora do mercado de são paulo, onde se vende tudo mais barato.
O que mais me arrepiou foram as bancas de carne fresca a ser vendida a céu aberto.
É incrível! Doi saber que há muito mas muito pior.
O que mais me choca a mim mesma quando aí estou, é como posso sentir tantos sentimentos opostos num curto espaço de tempo.
Mesmo assim, estou apaixonada por Angola.

Anônimo disse...

Ainda há quem aconselha ler estes blogs medíocres?!!! Aqui só se fala mal de Angola, façam criticas construtivas. Há uma coisa que não entendo e sinceramente por mais que faça funcionar a minha cabecinha não consigo entender, se Angola é assim tão má como este blog transparecesse, o quê que as pessoas que o escrevem estão aqui a fazer? Pelo que vi em outro blog, são brasileiros... Olha deveriam é estar a falar do Brasil, a mostrar a miséria e racismo que existe naquele país, pelo menos Angola pode desculpar-se, saiu de 30 anos de guerra e o Brasil quantos teve e saiu a quantos!!!... É muito bonito criticar a casa do outro quando a nossa também está muito suja... Falem do que é vosso e do que vos pertence... porque criticar por criticar este país deixam para os Angolanos, pois são os únicos que o podem fazer. É muita falta de tacto viver num pais e só falar mal do mesmo... Como o ditado diz, quem está mal que se retire... ou a lama Angolana vale mais que a do vosso País?

jose clemente disse...

O problema dos anónimos é que não têm "matubas" para prantar o nome e como tal botam postas de caxuxo por tudo e por nada. Luanda hojé é a negação do que foi até à altura da provocação abrilina lá nos Tuga.
Nunca vi tanta miséria, que me recorde e já sou um "muádié" com os cabelos branco, crianças a comer do lixo enfim, para quê? os tais 30.000 viverem como uns "nababos". Que saudade dos tempo da Angola Lusitana.
Soba de Calamboloca

F. disse...

Soba de Calamboloca, obrigado pela manifestação. Você pode ser uma fonte preciosa para o nosso pequeno dicionário. Não quer nos enviar o significado de matubas, caxuxo, muádié e soba? Abs,

Anônimo disse...

que fique bem claro que a foto acima e de algum bairro fedorento de angola (luanda) sei lá africa que seja. com o mesmo nome da rica cidade de são paulo no brasil. e saibam que apenas o pib da cidade de são paulo equivale a mais de 20 vezes o pib da podre angola fedida a africa não tem jeito sempre foi e sempre será o banheiro que o mundo todo caga e mija
salvo south african que parece ser o unico pais africano que se salva +OU-
BRASIL>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>africa

F. disse...

Caro anônimo, eu nasci e cresci em São Paulo, no Brasil. Conheço profundamente a cidade, suas qualidades (que são muitas) e seus defeitos (que também são enormes), incluindo esse PIB altíssimo do qual você se orgulha, mas que está concentrado na mão de meia dúzia de pessoas. Pelas ofensas que aqui dirigiu à África, e pela maneira como as redigiu, fica claro que você não teria condições sequer de apontá-la num mapa. Portanto, meu caro, não diga bobagens sobre aquilo que não conhece.