sábado, 26 de abril de 2008

Casa nova de novo

Então mais um mês se passou e a Casa de Luanda de novo se mudou. Para outro local temporário, haja vista que os definitivos estão pela hora da morte.

Desta vez, não temos vista na janela, como da última.

Alguns números para vocês entenderem o porquê de tanta provisoriedade:

  • O preço médio do metro quadrado na cidade de Luanda está avaliado em US$ 7,5 mil, segundo alguns especialistas ouvidos por esta Casa.
  • O primeiro condomínio construído pela Odebrecht em Luanda Sul, há 10 anos, foi lançado com casas de alto padrão vendidas a 700 mil dólares. Hoje, elas valem 4,5 milhões de dólares.

9 comentários:

ferando baião disse...

É a vida meus kambas, Luanda tá fogo, igual a NY e Hong Kong. Tá tudo louco, "chama a polícia" expressão angolana quando tamos mais que "lixados".Bom domingo, boa praia e um grande kandandu para vocês.

Anônimo disse...

Um dia isso volta para a realidade.
CHR

Paty disse...

Luanda é mais cara que Manhattan...
Soube de um apto de 3 quartos simples, tipo os de classe média no Brasil. 7000 dólares por mês com adiantamento de um ano. Doideira total.

fernando baião disse...

e muitas vezes ainda tens que fazer obras, que em Luanda é de tirar os olhos.Vamos fazer mais como então?

Jaque disse...

Ei, F. por que voce está escrevendo em português de Portugal? Ou seria da Angola? Qual é "merirmão"! hahahaha, ficou 2 anos no Rio e NÃO ganhou o sotaque cheio de RRRR e XXXX. Agora poucos meses ai e já está assim? Hahahaha

Migas disse...

É realmente surreal! Contudo, estão só a respeitar a lei da oferta e da procura, não é? Mas é problemático! Eu não tendo problemas em arranjar casa (tinha sempre alguém responsável da empresa a faze-lo por mim), em um ano e meio já estou na 5ª casa! Haja paciência!!!

Um dia, os preços terão de baixar mas, não será para já!

Beijos

Migas disse...

Realmente surreal? Não soa bem pois não? Lol... é o sono! ;o)

fernando baião disse...

enquanto houver petróleo e o preço sempre a subir, as casas e apartamentos não baixam. As empresas petrolíferas têm que justificar custos, alugam condomínios inteiros onde às vezes só vivem duas famílias, os outros que se lixem. Mas não são só as petrolíferas que contribuem para tal situação...

F. disse...

Pois é amigos, eu estou convencido de que a culpa é mesmo das companhias, petroleiras ou não, que pagam valores exorbitantes pelos edifícios. Enquanto tiver quem pague, as pessoas vão pedir cada vez mais.